Dúvidas

Dúvidas

1) Meu filho troca as letras ao falar. Ele tem 4 anos, isso é normal ? As outras crianças já estão começando a irritá-lo ao “fazendo gracinhas” da maneira como ele fala.

Resposta da Fonoaudióloga Luciana Reis:
O ideal é levá-lo a um fonoaudiólogo para fazer uma avaliação e verificar quais são os fonemas que estão sendo trocados. Poderá se dar início um trabalho preventivo. É importante ressaltar que os fonemas /r/ e /l/ são os últimos a serem adquiridos. Normalmente são adquiridos até o final dos 4 anos de idade.
É importante que seja iniciada a intervenção fonoaudiológica antes do processo de alfabetização, para que as trocas não interfiram na escrita.


2) Meu filho não larga a chupeta. Já tem 5 anos e isso atrapalhará a fala dele ?

Resposta da Fonoaudióloga Luciana Reis:
Crianças que chupam chupeta freqüentemente a partir dos 2 anos apresentam uma tendência a ter alterações dentárias. O que chamamos de mordida aberta, logo poderá apresentar hipotonia, postura incorreta da língua e respiração deficiente.
Por isso recomendo que através de conversa e estímulos você tente fazer com que seu filho use menos a chupeta até aos poucos largá-la.
Seria interessante também fazer uma avaliação fonoaudiológica e odontológica para maiores esclarecimentos.


3) Tenho tontura ao me deitar e ao me levantar, além disso tenho zumbido também. A fonoaudiologia poderá me ajudar ?

Resposta da Fonoaudióloga Luciana Reis:
Sim. Porém você deverá antes de começar o tratamento fonoaudiológico procurar um otorrinolaringologista para descobrir a causa dessa tontura e zumbido. Esse profissional dependendo do caso pedirá para que você realize um exame chamado VECTOELETRONISTAGMOGRAFIA-VENG, é um exame totalmente indolor, realizado por fonoaudiólogos ou médicos e é muito eficiente. Nesse exame será diagnosticado se há alteração em algum labirinto, se tiver, qual o lado que está alterado e se a alteração é á nível periférico ou central.
Após essa avaliação e acompanhamento otorrinolaringológico começa-se a reabilitação vestibular. É importante que você saiba que no início do tratamento você poderá sentir tonturas ou outros sintomas vestibulares concomitantes, geralmente de leve intensidade na realização dos exercícios de Reabiltação Vestibular essas tonturas com esse tratamento tendem a desaparecer.
Com o tratamento adequado um número relevante de pessoas tem obtido melhora expressiva ou cura de seus distúrbios labirínticos não precisando nem mais fazer uso de medicamentos anti-vertiginosos.


4) A minha filha está na classe de alfabetização e tem uma letra muito grande. Vou comprar um caderno de caligrafia para fazer com que ela diminua o tamanho da letra. O que você acha disso ?

Resposta da Fonoaudióloga Luciana Reis:
Na classe de Alfabetização é muito comum que as crianças façam letras grandes. Recomendo que ela não use lapiseira e sim lápis (de preferência bem apontado) pois nessa fase a criança ainda apresenta dificuldades no controle do tônus necessário para a escrita, (escrevem muito forte, e a ponta da lapiseira quebra a toda hora), o que faz com que a criança se atrase nas tarefas escolares.
Se há uma organização do espaço ocupado na folha e organização dos espaços entre as palavras não precisa se preocupar com o tamanho da letra.
No decorrer da vida acadêmica haverá mudanças na letra e aos poucos uma adaptação do tamanho.
Não recomendo também o uso do Caderno de Caligrafia, pois além de não ser uma atividade prazerosa e sim cansativa poderá sobrecarregar o punho dando dores no braço.